Atitude - Literatura


A leitura é a melhor viagem que podemos fazer sem sair do lugar, descobrir novos mundos e desenhar uma nova historia, mas, muitas vezes não sabemos o que ler. A partir de agora o blog Atitudenoar tem o prazer de contar com a colaboração mais que especial da escritora Gacy Simas.
 Gacy Simas
Começando hoje sua coluna quinzenal, Gacy  vai dar dicas de literatura, comentários sobre obras e autores. Nessa semana começamos com dois autores de Brasília.


 PRISIONEIROS DA VONTADE
Autor: Rubens Neco
Gênero: romance-ficção
Editora: Chiado Editora


 O romance conta uma envolvente história sobre Cinira Albuquerque, uma jornalista destemida e inteligente, que descobre uma trama de grandes proporções, que pode transformar radicalmente o comportamento e a vida das pessoas, contrariando os direitos humanos e afrontando as constituições democráticas mundiais.
Cinira, repórter do Telejornal da noite, entrevista um deputado de antecedentes questionáveis, eleito com cem por cento dos votos dos eleitores de uma cidade  localizada no interior de São Paulo, chamada: Santa Luzia, na qual foi implantada um sistema de controle social, que alcança um enorme sucesso. O que mais chama a atenção da repórter é o fato de que este deputado foi um dos criminosos mais procurados pela polícia no início da década.
Analisando a situação, Cinira Albuquerque percebe que existem negócios obscuros e muitas contradições, já que na reportagem o Deputado não pôde revelar detalhes sobre o projeto revolucionário de Santa Luzia argumentando não ter autorização para mencionar minúcias sobre ele.  Em busca de fatos que possam evidenciar suas suspeitas a jovem moça resolve dirigir uma reportagem investigativa. Sua persistência para encontrar a verdade provoca a ira de poderosos envolvidos no projeto.  
A repórter consegue descobrir que pessoas altamente capacitadas estão trabalhando involuntariamente, reféns de uma pesquisa, onde são implantados microchips em cobaias humanas, utilizando métodos de uma cultura milenar associados à alta tecnologia, para controlar estas pessoas de maneira conveniente aos objetivos da organização.
O Estado passou a manipular suas vidas, criando uma nova espécie de indivíduos obedientes, em nome da paz e da segurança nacional.
Aliada a pessoas interessadas na revelação, Cinira consegue capturar as informações secretas do projeto e da organização, que não mede consequências para atingir os seus objetivos, e foram responsáveis por crimes, corrupção e assassinatos.
Diante das descobertas Cinira Albuquerque é perseguida e capturada tornando-se refém da organização, passando a compactuar com o sistema, no entanto, prevendo o pior, arquitetou um plano para que no futuro pudesse revelar toda a verdade sobre o projeto e levar à justiça os responsáveis por tantas atrocidades.   


Biografia

Rubens Neco nascido em São Paulo. Reside em Brasília-DF. É formado em Administração de Empresas e Marketing, e atualmente cursa Direito.
É Integrante da ANE Associação Nacional de Escritores e do Sindi-escritores, Sindicato dos Escritores do DF.
Sua escrita é composta de Contos e Romances.




Não vou mais lavar os pratos.
Autora: Cristiane Sobral  
Editora: Dulcina


Cristiane Sobral é uma poetisa que tem várias publicações.
 O livro Não vou mais lavar os pratos contém diversos poemas, intensamente ligados aos problemas da vida diária. Retrata a situação atual da mulher negra que se conhece ou que deseja se conhecer.
Os poemas abordam vários temas em versos livres: vida familiar, universo feminino, memórias da infância, negritude, opressão de classe, de raça e de gênero.
O poema que dá título ao livro inicia assim:

“Não vou mais lavar os pratos
Nem vou limpar a poeira dos móveis
Sinto muito.
Comecei a ler. ” 



Biografia

Cristiane sobral é carioca, vive em Brasília desde 1990. Escritora, atriz e professora de teatro. Bacharel em interpretação (UNB). Licenciada em Educação Artística (Univ. Católica de Brasília). Especialista em Docência Superior (Univ. Gama Filho- RJ). Há 13 anos, dirige a Cia de Arte Negra Cabeça Feita. Em 2004 e 2007 atuou, ministrou cursos e dirigiu espetáculos em angola. Em 2009, compôs a Comissão de Seleção do Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia – 3ª Edição/2009, a convite da FUNARTE- RJ. Em 2010 compôs a Comissão de Seleção do Prêmio Afro, promovido pela Fundação Cultural Palmares/Minc, CADON e Petrobrás. Em 2012 compôs a comissão artística do FLAAC/UNB. É professora da Secretaria de Educação do DF. Membro do Sindicato dos Escritores do DF. Escritora imortal ocupante da cadeira 34 na Academia de Letras do Brasil


Por:  Gacy Simas

1 comentários :